LITURGIA COMENTADA 23 DE OUTUBRO DE 2015

SEXTA FEIRA – XXIX SEMANA DO TEMPO COMUM
(Verde – ofício do dia)

Antífona da entrada

– Clamo por vós, meu Deus, porque me atendestes; inclinai vosso ouvido e escutai-me. Guardai-me como a pupila dos olhos, à sombra das vossas asas abrigai-me (Sl 16,6.8).

Oração do dia

– Deus eterno e todo-poderoso, dai-nos a graça de estar sempre ao vosso dispor, e vos servir de todo o coração. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

1ª Leitura: Rm 7,18-25

– Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos: Irmãos, 18estou ciente de que o bem não habita em mim, isto é, na minha carne. Pois eu tenho capacidade de querer o bem, mas não de realizá-lo. 19Com efeito, não faço o bem que quero, mas faço o mal que não quero. 20Ora, se faço aquilo que não quero, então já não sou eu que estou agindo, mas o pecado que habita em mim. 21Portanto, descubro em mim esta lei: Quando quero fazer o bem, é o mal que se me apresenta. 22Como homem interior ponho toda a minha satisfação na lei de Deus; 23mas sinto em meus membros outra lei, que luta contra a lei da minha razão e me aprisiona na lei do pecado, essa lei que está em meus membros.
24Infeliz que eu sou! Quem me libertará deste corpo de morte? 25aGraças sejam dadas a Deus, por Jesus Cristo, nosso Senhor.

– Palavra do Senhor.
– Graças a Deus.

Salmo Responsorial: Sl 119, 66.68.76.77.93.94 (R:68b)

– Ensinai-me a fazer vossa vontade!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

– Dai-me bom senso, retidão e sabedoria, pois tenho fé nos vossos santos mandamentos!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

– Porque sois bom e realizais somente o bem, ensinai-me a fazer vossa vontade!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

– Vosso amor seja um consolo para mim, conforme a vosso servo prometestes.
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

– Venha a mim o vosso amor e viverei, porque tenho em vossa lei o meu prazer!
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

– Eu jamais esquecerei vossos preceitos, por meio deles conservais a minha vida.
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

– Vinde salvar-me, ó Senhor, eu vos pertenço! Porque sempre procurei vossa vontade.
R: Ensinai-me a fazer vossa vontade!

Aclamação ao santo Evangelho

Aleluia, aleluia, aleluia.
Aleluia, aleluia, aleluia.

– Graças te dou, ó Pai, Senhor do céu e da terra, pois revelastes os mistérios do teu reino aos pequeninos, escondendo-os aos doutores! (Mt 11,25).

Aleluia, aleluia, aleluia.

Evangelho de Jesus Cristo, segundo Lucas: Lc 12,54-59

– O Senhor esteja convosco.
– Ele está no meio de nós.
– Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Lucas
– Glória a vós, Senhor!

– Naquele tempo, 54Jesus dizia às multidões: “Quando vedes uma nuvem vinda do ocidente, logo dizeis que vem chuva. E assim acontece. 55Quando sentis soprar o vento do sul, logo dizeis que vai fazer calor. E assim acontece. 56Hipócritas! Vós sabeis interpretar o aspecto da terra e do céu. Como é que não sabeis interpretar o tempo presente? 57Por que não julgais por vós mesmos o que é justo? 58Quando, pois, tu vais com o teu adversário apresentar-te diante do magistrado, procura resolver o caso com ele enquanto estais a caminho. Senão ele te levará ao juiz, o juiz te entregará ao guarda, e o guarda te jogará na cadeia. 59Eu te digo: daí tu não sairás, enquanto não pagares o último centavo”.

– Palavra da salvação.
– Glória a vós, Senhor!

Liturgia comentada

Avaliar o tempo presente… (Lc 12,54-59)

Mais de uma vez os adversários de Jesus o tentaram, cobrando dele um “sinal”. Também entre nós há gente ansiosa por “sinais”, seja o sol girando no espaço, sejam aparições improváveis ou fenômenos astrais.

Ora, a presença do Filho de Deus encarnado, suas palavras e seus gestos deveriam ter sido “sinais” mais que suficientes para que seus contemporâneos fizessem penitência e acolhessem o Messias prometido.

Neste Evangelho, não sem uma dose de ironia, Jesus cobra de seus opositores, tão ágeis em ler os sinais das variações climáticas, relacionando as nuvens e a chuva, a mesma perspicácia em perceber os “sinais dos tempos presente”.

São João Crisóstomo [344-407 d.C.] põe estas palavras na boca de Jesus:

“Vós sabeis julgar o aspecto do céu e não podeis conhecer os sinais dos tempos? No céu, vós descobris sinais que pressagiam a tempestade e sinais que deixam prever a calma. Quando vistes os sinais da tempestade, já não esperais pela calmaria. E já não temeis a tempestade quando é a calma que vos é anunciada. Pois assim devíeis pensar a meu respeito.

Um é o tempo do advento presente, outro será o tempo da Vinda futura. Hoje, os sinais que eu realizo sobre a terra são indispensáveis; quanto aos sinais que se realizarão no céu, estarão reservados para o advento futuro. Agora, eu vim como médico; então eu virei como juiz. Agora, eu venho procurar aqueles que se desgarraram; então eu virei pedir-lhes conta de seus atos.

Eis por que eu vim sem fragor; mas então eu virei com o mais chocante aparato, retirarei o céu, obscurecerei o sol, e a lua já não dará sua luz. Então as forças do céu serão abaladas; então minha chegada será instantânea, semelhante ao relâmpago, minha presença atingirá de súbito todos os olhares. […]
Que sinal ireis comparar à remissão dos pecados? Que há de mais potente que chamar os mortos para a vida, expulsar os demônios, restaurar o corpo humano e todas as coisas?”

E foi assim que Jesus se negou a dar qualquer sinal, exceto o “sinal de Jonas” – sua própria ressurreição ao terceiro dia.

Hoje, também nós podemos dispensar outros sinais. Basta-nos acompanhar o noticiário da TV e já teremos suficientes propostas para mudar de vida e buscar as coisas do alto. De preferência, antes da chegada do Juiz…

Orai sem cessar: “Maran atha! Vem, Senhor!” (1Cor 16,22)
Texto de Antônio Carlos Santini, da Comunidade Católica Nova Aliança.
santini@novaalianca.com.br

(Visited 97 times, 1 visits today)