Sexta-feira da Paixão 2018

Na Sexta-feira da Paixão, ou Sexta-feira Santa, quando celebramos a Paixão e Morte de Jesus, o silêncio, o jejum e a oração devem marcar este momento. Ao contrário do que muitos pensam, a Paixão não deve ser vivida em clima de luto, mas de profundo respeito e meditação diante da morte do Senhor que, morrendo, foi vitorioso e trouxe a salvação para todos, ressurgindo para a vida eterna.

Liturgia das Horas

A Liturgia das Horas deu início aos ritos litúrgicos da Sexta-Feira Santa na Paróquia. O momento começou às 08 da manhã, conduzido por diversos cânticos e leituras de salmos e preces, para levar a reflexão da Paixão de Cristo. Depois, os presentes lembraram e meditaram sobre os passos de Jesus Cristo durante sua paixão e morte, por meio da via sacra. A comunidade, guiada pelo Padre Clésio, passou por 15 estações que lembram a paixão, morte e ressurreição de Cristo. Durante as estações, representadas por quadros ao longo do Santuário, eram realizadas leituras sobre cada momento, fazendo uma ponte com a sociedade atual e os seus problemas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Celebração das 15 horas

O ponto alto da Sexta-feira Santa é a celebração das 15 horas, horário em que Jesus foi morto. É a principal cerimônia do dia: a Paixão do Senhor. Ela consta de três partes: liturgia da Palavra, adoração da cruz e comunhão eucarística. Durante a homilia, Padre Clésio nos lembrou que o que temos para oferecer a Jesus é o nosso pecado. E Jesus nos oferece a sua vida, o seu amor. Como o Soldado dá a Jesus vinagre quando Este diz “Tenho sede!”, nós oferecemos o vinagre a Jesus, que é nossa vida de pecador. E Jesus bebe esse vinagre e nos oferece o vinho bom, que é o seu amor. Devemos viver esse amor todos os dias, na nossa vida, nas nossas famílias, nas pastorais, renascendo no amor de Deus por nós, vivendo dessa graça que é o sangue de Jesus por nós derramado na cruz.

 

Encenação, Procissão e Veneração

À noite, tivemos a encenação da Paixão de Cristo feita pelo grupo de teatro Diguidum. A emocionante representação do descendimento da cruz, abordou o tema da  Campanha da Fraternidade 2018 “Fraternidade e superação da violência” e nos chamou a atenção para a violência que temos enfrentado no dia-a-dia, além de realizar um importante paralelo com o sofrimento e as mortes violentas nos dias atuais.

Após os sermão do Padre Aluísio (Paróquia Santa Inês) , que nos apontou a relevância e o sentido das palavras ditas por Jesus nos seus últimos momentos, houve a procissão do Senhor morto. Fiéis de todas as idades acompanharam o trajeto pelas ruas do bairro. No caminho, bandeiras roxas e brancas, velas e casas enfeitadas trouxeram mais beleza para o cortejo.

Ao fim da procissão, os fiéis se reuniram no Santuário, onde puderam tocar na imagem do Senhor Morto e fazer suas preces pessoais.

CLIQUE AQUI para ver as fotos da Encenação, Procissão e Veneração da Imagem

Sexta-feira da Paixão 2018

(Visited 226 times, 1 visits today)