Superando a violência – 2ª parte

            Continuando a falar de atitudes e ações que devemos tomar para superando a violência em nossa vida pessoal e comunitária, hoje iremos falar sobre a importância de manter a cultura da Paz.

            Evitar a maledicência é uma atitude importante neste cenário. Que vantagem existe em sair por aí espalhando o mal que os outros fazem? A desvantagem é visível: afundá-los ainda mais no mal, sem dar a eles a possibilidade da mudança. Vale também lembrar da violência gerada pela calúnia, quando de afirma, conscientemente, que o outro fez o que não fez. Da maledicência e da calúnia provêem muitos desentendimentos, alguns graves.

            Não alimentar a ira: Irritar-se é um ato humano instintivo, uma reação ao mal. Sentir ira não é o problema; este só se concretiza quando eu o alimento, permitindo que se torne raiva e depois ódio. Quem controla a ira evita na fonte o nascimento de atitudes violentas.

            Criar um ambiente de paz: Onde você estiver, seja alguém que promove a paz e que esvazia o confronto. Há pessoas que, estejam onde estiverem, irradiam paz; mas há outras que, onde estão, há confusão. Para ser um gerador de paz é necessário tê-la no coração e na mente. A harmonia interna leva à praticas que evitam a violência.

            Não fazer aos outros aquilo que não gostaria que fizessem a você: Esta é a “Regra de Ouro” para a vida. É não permitir que a violência nasça, é prevenir para não precisar remediar.

Fonte: Editora Pão e Vinho

(Visited 30 times, 1 visits today)