Superando a Violência – 4ª Parte

Atualmente tem se falado muito em viver em comunidade, mas na realidade estamos vivemos num mundo de violência e egoísmo. A violência pode ser entendida como “qualquer ação contra a vida ou a sociedade que possa causá-las prejuízo ou destruí-las por completo”. Os meios de comunicação, na maioria das vezes, que deveriam aproximar as pessoas, acabam distanciando, promovendo discussões e incitando à agressividade.

Saber viver em comunidade é uma missão que se aprende a cada dia, devemos descobrir o quanto é gratificante viver em comunhão respeitando às diferenças.

Nesta semana vamos falar sobre alguns temas que nos ajudam a refletir sobre a superação da violência, tais como:

Evitar discutir assuntos que incitam a violência – Pense bem antes de falar, ou dizer alguma coisa, mesmo que seja “apenas” a sua opinião. Temas polêmicos sempre provocam discórdia e conflitos. Uma fala, frase ou conversa fora de contexto pode ser mal interpretada e causar mal-entendidos. Devemos ser cautelosos ao expressar nossa opinião, evitando comentários que afetem negativamente as relações com às pessoas e que venham instigar provocações. O respeito à diversidade é fundamental.

Dirigir defensivamente O trânsito também merece um olhar mais atencioso. Dirigir requer principalmente cautela, prudência e paciência. “Acidentes no trânsito podem deixar marcas eternas na vida de uma pessoa”. O trânsito tem sido um dos principais motivos de estresse no ser humano. A impaciência, o nervosismo e a irritabilidade dos condutores também tendem a aumentar os xingamentos, discussões e brigas, piorando a violência e elevando o risco de acidentes. Dirigir defensivamente além de trazer mais segurança no trânsito, protege à vida.

Controlar o próprio temperamento – É uma tarefa muito difícil. A raiva descontrolada prejudica a sua relação com o seu próximo. Seja mais otimista e veja a vida de forma mais leve. Aprenda a controlar suas emoções evitando comportamento inadequado e desequilibrado. Procure não agir instintivamente.

Não se perturbe o vosso coração. Credes em Deus, crede também em mim” (João 14,1a).

Aprender a pedir perdão – Pedir perdão requer humildade, reconhecimento e arrependimento. Todo mundo erra e é capaz de magoar, mesmo acidentalmente. A capacidade de reconhecer a falha e pedir perdão é que nos torna mais virtuosos. Somos todos falhos, infelizmente não somos perfeitos, mas quando erramos devemos pedir perdão. Se Deus perdoou os nossos pecados e se nós queremos ser parecidos com Deus, que motivos podemos ter para não perdoar alguém? Se nós perdoarmos, receberemos perdão; essa é uma verdade. Se realmente compreendemos o que Jesus fez na cruz, o perdão deve fluir no nosso coração. É um ato digno de um verdadeiro cristão.

Se realmente seguíssemos a palavra de Deus: “AMAI O PRÓXIMO COMO A SI MESMO,” o mundo seria bem melhor.  Representa a solução para conseguirmos uma comunidade mais justa e sem violência.

E, quando estiverem orando, se tiverem alguma coisa contra alguém, perdoem-no, para que também o Pai celestial perdoe os seus pecados.(Marcos 11:25-26)

(Visited 67 times, 1 visits today)